Pessoas com problemas de varizes e inchaços na perna podem encontrar alívio na drenagem linfática, que ajuda na eliminação de líquidos e no retorno venoso. “A técina estimula a circulação, que flui mais facilmente de volta ao coração, aliviando o incômodo das varizes”, explica Sabrina Horta, fisioterapeuta da Clínica Miyake, em São Paulo.

Pelo mesmo motivo, ajuda quem tem tendência a acúmulo de líquidos e quem acaba de passar por um procedimento cirúrgico. “No pós-operatório de varizes, recomendamos 10 sessões de drenagem, que facilita a cicatrização e a redução de edemas e agiliza a recuperação”, aponta o cirurgião vascular Kasuo Miyake, especialista pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Entretanto, se não for feita de forma adequada, a drenagem pode ter o efeito contrário. Daí o perigo das chamadas drenagem linfática “profunda” ou “modeladora”. “O sistema linfático e o sistema vascular superficial são muito sensíveis. Por isso, a drenagem deve ser feita por uma fisioterapeuta, com ritmo suave e respeitando os fluxos sanguíneos e linfáticos”, alerta Miyake. Se a pressão exercida na pele for exagerada e não respeitar a anatomia do sistema linfático, pode estourar vasos e válvulas, causando hematomas e/ou edemas, que podem evoluir para edemas crônicos e varizes.

O sistema linfático é importante para a defesa imunológica porque transporta glóbulos brancos, os principais agentes de proteção do organismo. Leva também os glóbulos vermelhos, proteínas e gorduras recolhidos dos tecidos. A drenagem linfática ajuda no escoamento do excesso de líquidos, toxinas e gorduras presentes na linfa.

Retweet this post