No treinamento de musculação, um dos aspectos mais qualitativos para o sucesso do desportista é a mecânica perfeita do gesto técnico nos exercícios de força.

Muitos praticantes de musculação em academias sacrificam a correta postura dos exercícios, em busca de repetições com cargas mais elevadas, principalmente desconcentrando o músculo alvo e ativando mais músculos sinergistas. Além de minimizar a eficiência do exercício, à prática de movimentos com cargas muito elevadas, superiores aos níveis de aptidão do executador, pode lesar músculos, tendões e ligamentos desses indivíduos.

Usar a técnica correta do movimento durante o exercício, é essencial por vários motivos, principalmente a segurança. A perfeita postura, também garante o treinamento dos músculos primários que devem ser trabalhados em determinado exercício.

A técnica incorreta pode ter várias causas. Obviamente, a primeira delas é o desconhecimento do modo de execução de um exercício; a inadequação do equipamento também pode resultar em uma técnica incorreta. Geralmente, isso acontece com maior freqüência nos aparelhos de treinamento com pesos, do que em exercícios com barras e halteres. Em muitos aparelhos, é possível ajustar a altura e a posição de descanso do banco, assim, como das alças, dos apoios dos pés e dos suportes para as pernas. Se no entanto, não houver o correto ajuste, há risco de prejudicar-se a execução da técnica correta do exercício. Por isso, o uso de aparelhos exige sempre o ajuste adequado.

Também observa-se a imperfeição de movimentos, ao se trabalhar grupos musculares fracos, o que ocorre preferencialmente em exercícios que solicitam vários grupos musculares, como, por exemplo, o agachamento com barras. A inclinação para frente ou a rotação das costas no agachamento com barras pode ser causado pela fadiga da musculatura abdominal e da região lombar durante a realização de uma série. Na maioria dos exercícios multiarticulares, a técnica se deteriora sempre que o grupo muscular mais fraco ou mais fadigado envolvido no exercício alcança o limite de seu desempenho. O fortalecimento do grupo muscular mais fraco ou mais exaurido em determinado exercício melhora a técnica de execução de um grande número de repetições por série e permite o uso de cargas elevadas sem prejuízo da técnica correta.

Como foi citado acima, o aumento desnecessário e incoerente de cargas, o desconhecimento da técnica correta, a execução exercícios de grupos de grande massa muscular e o uso de máquinas e aparelhos inadequados e irregulares, são preocupações imediatas na prática correto do gesto motor, devendo ser fatores muito considerados pelos praticantes de musculação e professores responsáveis pela atividade.

Importante que o praticante de musculação, prime pela qualidade da execução e não pela quantidade do peso.

Importante para o profissional responsável pela musculação, ter atenção, bom senso e conhecimento técnico específico, para a perfeita orientação dos alunos.

por Luciano Meireles de Pontes , Professor de Educação Física e Pós-graduado em preparação física pela Universidade Gama Filho

Retweet this post