A relação entre saúde e nutrição está cada vez mais estreita. A necessidade de uma vida saudável faz com que as pessoas busquem o exercício físico e a alimentação balanceada. A prática regular de atividade física contribui para a manutenção e perda de peso, visto que o metabolismo fica acelerado e o gasto energético aumenta. Com isso, atletas e praticantes de atividades físicas devem atentar a uma dieta equilibrada, principalmente quanto à ingestão de carboidratos.

Estudos científicos destacam a importância dos carboidratos na dieta antes, durantes e depois dos exercícios: uma alimentação com cerca de 70% das calorias na forma de carboidratos complexos melhora a performance e diminui a fadiga. Por esta razão, a maioria dos praticantes de exercícios físicos regulares faz dieta rica em carboidratos. As refeições pré-competição devem conter baixas quantidades de fibras e gorduras para evitar desconforto gastrintestinal nos atletas. Além disso, os carboidratos mantém ótimas concentrações de glicose no sangue para o trabalho muscular durante o exercício.

Os carboidratos, também conhecidos como glicídios, são nutrientes essenciais para o organismo por fornecerem energia, principalmente para órgãos e tecidos, como o cérebro e os músculos, respectivamente. Os glicídios, que estão na base da pirâmide alimentar, se fazem presentes em vários alimentos, entre eles, os pães. O pão fornece em média 135 calorias (unidade de 50g), nas quais 80% delas estão sob forma de carboidratos complexos, ou polissacarídeos. O pão ainda é fonte de zinco, ácido fólico e ferro.

De acordo com a especialista em nutrição clínica, Patrícia Leite, os chamados carboidratos complexos – ou polissacarídeos – são aqueles que contêm mais de uma molécula de glicose ou outros monossacarídeos em sua estrutura. Entre os de maior destaque, encontram-se o amido (principal constituinte dos pães), o glicogênio e a fibra.
“A forma que o organismo dos animais encontra para armazenar os carboidratos é, a princípio, o glicogênio. Esse polissacarídeo pode ser armazenado nos músculos ou no fígado. Nos músculos, o papel dele é fornecer energia. No fígado, sua principal função é a de regular os níveis de glicose no sangue, sendo de vital importância, pois pode levar o indivíduo ao coma hiperglicêmico (excesso de glicose) ou ao coma por acidose metabólica (falta de glicose)”.

A queda na concentração de glicose sangüínea pode gerar sintomas como hipoglicemia e fadiga muscular, que diminuem o rendimento do atleta. Entretanto, Patrícia Leite alerta sobre a importância de respeitar o biótipo de cada indivíduo. “Devemos ter ciência de que cada pessoa, praticante de atividade física, atleta ou até mesmo sedentário têm características físicas particulares, tais como sexo, idade, peso e altura. Dessa forma, é indispensável ter um plano alimentar personalizado” finaliza.

Retweet this post